Artigos

Você está em: Artigos

>>

O Corpo Celeste

O Corpo Celeste

á corpos celestes e corpos terrestres…
Semeia-se o corpo em corrupção, é ressuscitado em incorrupção…
Semeia-se corpo animal, é ressuscitado corpo espiritual. Se há corpo animal, há também corpo espiritual…

Essas expressões são do apóstolo Paulo, na Primeira Epístola aos Coríntios (capítulo XV), explicando à comunidade cristã a vida depois da morte.
Já naquele tempo havia dúvidas sobre o assunto. Admitia-se a sobrevivência, mas sem uma noção de como o Espírito, o ser pensante, uma centelha divina, poderia agir no mundo espiritual e expressar sua individualidade.
No livro Paulo e Estevão, psicografia de Francisco Cândido Xavier, o Espírito Emmanuel, exercitando uma historiografia espírita, oferece informações que nos permitem entender uma observação do apóstolo, sobre o assunto (II Coríntios, 12:2-4):

Conheço um homem em Cristo que há 14 anos (se no corpo não sei, se fora do corpo não sei; Deus o sabe) foi arrebatado até o terceiro céu. E sei que o tal homem foi arrebatado ao paraíso e ouviu palavras inefáveis de que ao homem não é lícito falar.

Segundo Emmanuel, foi o próprio Paulo quem vivenciou essa experiência maravilhosa, transitando pelo plano espiritual durante as horas de sono, no corpo celeste.
Como não poderia ter efetuado essa viagem astral no corpo físico, concluiu que há um corpo etéreo, que situou como corpo espiritual.
Sepultado o cadáver, que entra em decomposição, o Espírito ressurge no plano espiritual, em seu corpo celeste, cópia fiel do corpo físico.
Estudado por todas as escolas iniciáticas, ele permite ao vidente identificar os Espíritos que se apresentam à sua visão mediúnica. Allan Kardec o denomina perispírito, em torno do Espírito.
O assunto merece nossa reflexão, particularmente neste mês de novembro, em que comemoramos o dia dos mortos.
Mais apropriadamente diríamos o dia dos vivos, porquanto, todos que mourejamos na Terra, estamos de certa forma sepultados na carne, que inibe nossas percepções, a nos impedir a visão gloriosa do mundo espiritual, de onde viemos, para onde retornaremos, quando a Deus aprouver, ressurgindo em incorrupção, como bem define o apóstolo Paulo.


2010 - Richard Simonetti